6 de dez de 2009

Defina-se!
Sou um ser de sentimentos escuros,
Fantasma noturno que chora,
Pelas tristezas que me devoram,
Nos pensamentos obscuros

Minha alma melancólica,
Vaga pela noite sombria
Em busca da alegria ilusória,
Perdida nas sombras exóticas.

Vida destruída pelas desilusões...
Por favor, não tenha medo
de uma alma que é triste e
amaldiçoada.

Sou um triste fruto de um mundo feliz que não existe.

Queria ser como as outras pessoas...
Fingir estar sempre bem, viver sorrindo...
Mas as lagrimas sempre predominam meu rosto...

Então eu tentei matar a dor
Mais só me trouxe muito mais
Eu estou derramando remorso sanguinário e traição

Eu estou morrendo, sangrando e gritando.
Minhas feridas imploram por um túmulo
Minha alma implora por libertação

Eu não consigo escapar desse destorcido jeito que você acha que eu sou
Eu te sinto em meus sonhos e não consigo dormir

Eu não posso salvar a sua vida
Embora mesmo que eu sangre, é mais um tormento
Estou perdendo minha cabeça e você justo lá vendo meu mundo se dividir

Eu sonho na escuridão
E durmo para morrer
Apagar o silêncio
Apagar minha vida
Nossas cinzas ardentes
Escurecem o dia
Um mundo de nada
Me expulsa

Eu não posso mudar quem eu sou
Não desta vez, eu não irei mentir para manter você perto de mim
E nesta curta vida, não há tempo pra perder desperdiçando
Meu amor não foi o suficiente

Vivo em um mundo melancólico
Rodeada de seres das trevas
Mais mesmo assim vejo a luz do fim do túnel
Ou melhor, finjo que vejo.
Sou um ser amaldiçoado.
Sofro mais sorrio
Meu sofrimento é meu
Apagar minha vida
Nossas cinzas ardentes
Escurecem o dia
Um mundo de nada
Me expulsa
Me empresta seus lábios, deixe-os colados aos meus.Me empresta seus olhos deixe-os ver apenas os meus.Me empresta seus braços,deixe-os envoltos em meu corpo.Agora me aperta deixe fluir toda minha energia.Absorva toda a força do meu amor.Me transmita toda a força do seu amor.Cada segundo ao seu lado é um renascer.Cada segundo ao seu lado é reviver .Me empresta seus lábios.Me empresta seus olhos.Me empresta seus braços.Me dá seu amor.

 Devaneios
''Lábios que se unem,mãos que percorrem os corpos nus,na ânsia de saciar os desejos contidos até aquele instante,num desejo de ser eterno.Bocas soluçando vontades incendiadas e pernas ora entrelaçadas, ora abertas,como taças expostas ávidas de recolherem o vinho, loucos beijos que jamais te dei.''